20.12.11

Torta Relâmpago



Dia de visita em casa é dia de preparar algo especial.
Simples , porém feito com muito carinho por mim.

Hoje vou rever 2 amigas do tempo da faculdade, que o tempo não separou.Fiz esta deliciosa torta, que não requer prática nenhuma pra fazer e fica muito boa para tomar aquele lanchinho à noite.O maridão tá aqui se deliciando e já mandou pra dentro nada menos que metade da torta! rs


Ingredientes

Para a massa (no liquidificador):

-3 ovos
-2 xícs de leite
- 3/4 de xíc de óleo
-2 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
- 1 colher ( chá) de sal
-2 xícs de farinha de trigo
- 1 colher ( sopa) de fermento em pó (misture o fermento à massa somente quando o recheio estiver à mão e bata mais um pouquinho).

Bata todos os ingredientes no liquidificador e reserve.

Recheio:

Você pode criar seu próprio recheio.Frango refogado, frios, verduras, etc.Essa torta de hoje usei os seguintes ingredientes:

- 2 tomates sem sementes picados em cubinhos
- 1 lata de atum sólido esmigalhado, gosto de usar o light que tem bem menos óleo ( se gostar de mais recheio coloque mais 1 lata de atum)
- 12 azeitonas verdes sem caroço, picadinhas
- 300 grs de mussarela picada
- 1/2 latinha de milho verde
- 1/2 latinha de ervilha
- 1 pitada de sal
- 1 cebola média picada em cubinhos
-orégano á gosto

Misture o recheio numa tigela, unte uma assadeira média, disponha metade da massa, acrescente o recheio e cubra com o restante da massa do liquidificador.

-Opcional: salpique parmesão ralado por cima e leve para assar em forno pré aquecido á 180 graus por 45-50 minutos ou até ficar bem dourada.


4.11.11

Pasticio ou Pastitsio - uma delícia!

Receitinha nova no pedaço, que renderam muitos eleogios do maridão.Comprei uma massa diferente chamada Gemelli parece o macarrão parafuso, mas é um pouco menor e mais pesado, gostei muito.Mas vc pode fazer com outros tipos de massa também.



Empadão de Carne e massa




Ingredientes



500 grs de carne moída
1 cebola picadinha
2 dentes de alho picadinho
3 colheres de sopa de óleo
125 ml de vinho seco tinto
1 caldo de carne diluído em 250 ml de água fervente
5 colheres de sopa molho de tomate peneirado
Sal, pimenta do reino à gosto
Orégano à gosto


Preparo: Numa panela, refogar a cebola, alho no óleo. Acrescentar a carne moída até ficar dourada.Acrescente o vinho , mexa e deixe evaporar por uns 2 minutos.
Acrescente o molho de tomate, o caldo de carne diluído , sal, pimenta do reino e orégano.Deixe cozinhar por uns 15-20 minutos, sem secar o caldo.Desligue o fogo e reserve.


Massa


300 grs de massa à gosto
1 colher de sopa de manteiga
60 grs de queijo parmesão ralado
-Numa panela grande, coloque água suficiente para cozinhar (ao dente) a massa. Após o cozimento, escorra o macarrão e volte para panela, acrescentando a manteiga e o queijo ralado com ele ainda morno.Reserve.


Molho Bechamel



350 ml de leite
2 colheres de sopa de farinha de trigo
Noz moscada à gosto
1 colher de sopa de manteiga
50 grs de queijo parmesão ralado
1 ovo batido
Sal a gosto



Preparo: Numa panela derreta a manteiga, acrescente o leite e acrescente a farinha de trigo previamente diluída num pouquinho deste mesmo leite. Deixe engrossar , acrescente a noz moscada à gosto e o queijo ralado e mexa bem.Desligue o fogo, deixe amornar, e acrescente o ovo batido , mexendo muito bem.




Montagem: Num refratário de vidro ou anti-aderente intercale camadas do molho e do macarrão.Cubra com o molho branco e leve ao forno para gratinar por uns 30 minutos ou até dourar.

28.9.11

Azedinha - Uma hortaliça Poderosa!




Professores da PUC do Rio Grande do Sul, provam cientificamente que raiz de planta tem 100 vezes mais resveratrol que a uva.A planta chama-se azeda, hortaliça popularmente conhecida no Brasil como azedinha.



Resveratrol é um antioxidante que ajuda a controlar a homeostase, equilibrando as funções do organismo, influenciando a cura de inúmeras doenças principalmente do metabolismo e referentes ao envelhecimento.

Ideal para diabetes, principalmente do tipo 2, que é mais comum nos idosos e está relacionada ao desequilíbrio homeostático.
O resveratrol ainda melhora problemas dos vasos em geral, atingindo a maioria das doenças da 3ª. idade, como circulação, cardiovasculares, pele, retardando o envelhecimento. Também beneficia a coordenação motora, previne a formação de catarata e preserva a densidade óssea.



Estudos publicados numa revista americana mostram que o resveratrol tem o mesmo efeito que uma alimentação com poucas calorias, então o resveratrol ajuda a dissolvê-las, sem dieta especial.



A patente já foi vendida para a Eurofarma, com o propósito de produzir o medicamento, mas estes nunca vão substituir o original, feito pela natureza, que é usar de forma natural ou em tinturas, sendo este o efeito mais potente da planta, única maneira de tirar com eficiência o princípio ativo da planta que deve estar com a raiz, pois é nesta que está a maior concentração da substância.

Você pode começar a experimentar e observar o que acontece.

Matéria de Suzete que é Naturopata, Iridóloga e Instrutora dos Exercícios Visuais.



Fonte: www.saudeintegral.com/

21.9.11

Benefícios da Noz Pecã



As nozes estão entre os alimentos que mais benefícios trazem à saúde. O consumo, mesmo que em pequenas quantidades, diariamente, pode evitar até 65% do risco de doenças do coração, diminuir o mau-colesterol, melhorar o funcionamento intestinal, cerebral, pulmonar, entre outros.



Por ser rica em antioxidantes, especialmente vitamina E, é comprovada como agente de prevenção do câncer. Essa mesma vitamina E é importante para a fertilidade masculina. Compostos chamados fitoestrogêneos reduzem os problemas relacionados a menopausa, especialmente osteoporose.

 
Para os que fumam ou vivem em locais muito poluídos, os antioxidantes presentes nas nozes, especialmente o gama-tocoferol, melhora o funcionamento pulmonar e reduz os danos das toxinas inaladas.

 
Mesmo sem o conhecimento dos compostos envolvidos, sabe-se que o consumo de nozes auxilia no tratamento da diabetes e da hipertensão. O resveratrol, encontrado no vinho tinto e associado à prevenção de males do coração, também existe nas nozes. Os ácidos graxos ómega 3 e 6, também estão nas nozes.



Os fitoestrogêneos da soja também estão nas nozes. Por isso tudo, coma nozes regularmente e desfrute de uma boa saúde.



 

11.9.11

Torta Rápida de Salsicha



Estou meio sem tempo ultimamente pra atualizar meu Blog, com minha vida bem corrida por conta do trabalho até aos fins de semana e pela mudança de ap, só vou à cozinha para cozinhar o trivial diário e para fazer meus cupcakes e cakepops quando tenho uma folguinha ou encomenda.

Sou leitora assídua de feeds dos meus colegas e amantes da culinária e hoje recebi uma receita bem rápida e bacana pro lanche de domingo, quando não se tem muito tempo pra elaborar coisas muito difíceis na cozinha.



A receita é de uma torta rápida de salsicha do Marcelo Katsuki da Folha e que pela facilidade, fiz questão de postar por aqui também.E é claro os créditos tanto da foto, como da receita são dele.



Torta Rápida de Salsicha


Para a massa, bata no liquidificador por 1 minuto:



- 2 xíc. de leite

- 3 ovos

- 1/2 xíc. de óleo

- 1 e 1/2 xíc. de farinha de trigo

- 2 colheres de sopa (rasa) de fermento

- 1 pitada de pimenta do reino

- 1 colher de sobremesa de sal


Para o recheio, misture numa vasilha:


- 1 pacote de salsichas fervidas rapidamente e picadas em rodelas

- 2 tomates picados

- 200 gr. mussarela ralada

- orégano a gosto



Unte uma assadeira retangular média, coloque metade da massa, espalhe o recheio por cima e cubra com o restante da massa. Asse em fogo médio por 50 minutos.



Opcional: polvilhe um pouco de parmesão ralado para dar aquele cheirinho bão!


1.8.11

Mais Cake Pops



Estou bem empolgada com a carinha dos meus cake pops.E não é que ficaram bonitinhos?


Próximo passo, novos sabores..Humm, delícia!

25.7.11

Cake Pops






Há quase 1 ano atrás fiz um curso de Chocolate com a Simone Izumi do Chocolatria há e demorei pra aquecer os motores e começar a produzir algo com chocolate.







Há um tempinho atrás em minhas pesquisas na Net e recebimento de Feeds, conheci o tal do Cake Pop ( Bolo no Palito), nem tão conhecido ainda por aqui como o Cupcake, e foi aí que meus olhos brilharam por essa guloseima.






E após pesquisar bastante sobre o assunto, adquiri um super livro da pioneira no assunto, comecei a produzí-los com o intuito de rechear a festinha da minha sobrinha e agradar a criançada com algo diferente.Taí o resultado e tomei tanto gosto que nas horas que ainda me restam de folga, estou produzindo e vendendo.




Recheados com Bolo de Chocolate, creme de avelãs e cobertos com puro chocolate ao leite os cake pops são confeitados a gosto do cliente: estrelinhas, granulados, côco ou confeitos bem coloridos e variados. Todos são embalados individualmente em saquinhos de celofane e amarrados com fitas bem coloridas e alegres.





23.6.11

Torta de Ricota



Há alguns meses postei esta receita com o nome de Bolo de queijo e pensei: esse nome sugere algo salgado, então resolvi mudar o nome para Torta de Ricota.
Fica muito boa e é muito fácil de fazer.
É o tipo de receita que impressiona pela leveza e pelo sabor delicado.
Ingredientes

1 lata de leite condensado
300 grs de queijo ricota
4 gemas/ 4 claras
1 colher (chá) de pó royal
Meia xícara(chá) de suco de limão
raspas de limão à gosto
1 pacote de bolacha de maisena triturada
baunilha à gosto
Meio tablete de manteiga sem sal, em temperatura ambiente

Modo de fazer
Triture a bolacha no liquidificador, misture com a manteiga e reserve.
Bata todos os ingredientes no liquidificador por uns 5 minutos.
Bata as claras em neve na batedeira até ficar bem firme, reserve.
Forre um refratário pequeno de vidro ou uma forma retangular pequena com a metade da mistura da bolacha.
Numa tigela, misture as claras em neve delicadamente com o creme batido no liquidificador até ficar homogêneo e coloque no refratário.Cubra com o restante da mistura da bolacha e leve ao forno baixo até dourar por mais ou menos 1 hora, ou até espetar um palito e sair sequinho.


1.6.11

Bolo de Iogurte



Recebi uma visita virtual muito bacana da Adriana, dona do Blog "Sabor com Letras" e tivemos a agradável surpresa em saber que, como nós, ela também gosta da culinária mineira e da arte que é cozinhar.



Visita retribuída ao Blog dela, me deparei com muitas receitas ótimas, mas uma delas em especial me fez passar a tarde pensando quão bom seria aquele Bolo de Iogurte com uma boa xícara de chá...

Cheguei de madrugada do jornal (parece loucura né?) e o fiz! rs


Aqui no Blog, temos uma versão de um bolo parecido, mas que vai mais ingredientes além do iogurte natural, mas este bolo da Adriana me surpreendeu pela textura, facilidade e rapidez. O bolo assou em 25 minutos à 180°, vapt-vupt!



Deixo aqui a receitinha dela e a foto do meu bolinho pra vcs apreciarem.Fiz questão de mostrar uma fatia e tirar uma pontinha pra vcs verem como a massa fica linda! (cliquem na foto pra ampliar.)


Bolo de Iogurte


Ingredientes


04 ovos
1 copo de iogurte natural

1/2 copo de óleo

1 1/2 copo de farinha de trigo

1/2 copo de amido de milho

2 copos de açúcar

1 colher de sopa de fermento em pó


Use o copo de iogurte como medida


Preparo

- Bata no liquidificador todos os ingrediente por 5 minutos. Menos o fermento.
- Acrescente o fermento e ligue o liquidificador rapidamente, apenas para misturar.
- Despeje a massa em uma assadeira redonda com furo no meio, untada com manteiga e polvilhada com farinha.
- Leve ao forno pré-aquecido a 180°(médio), até assar.


Não abra o forno antes de 15 minutos. Para saber se está assado é só enfiar um palito, se sair seco e o bolo tiver um dourado bonito, está pronto.


Meu toque: Com o bolo ainda quente , salpiquei um pouquinho de açucar com canela...Ficou ótimo.Na próxima, vou colocar raspas de limão, acho que vai ficar muito bom também.




28.5.11

Carne com Batatas -Receita da minha mãe!



Bateu aquela vontade de comer a comidinha da minha mãe hoje.Não resisti e liguei pra pedir a receitinha de uma carne deliciosa com batatas que só ela sabe fazer.


Lá em casa, no tempo de solteirice a pedida era unânime: Sempre que ela pensava em algo bom pro jantar ou almoço, fazia este delicioso prato pra nós.E comida de mãe é comida sempre boa, né?


Segue a receitinha, mas creio que muitas pessoas já conheçam e tenham sua própria versão com seu toque de sabor e com sua particularidade no preparo.


Ingredientes


1 Kilo de miolo de acem em cubos ( fica muito bom também com alcatra, coxão mole)

3 dentes de alho picadinhos

1 tablete de caldo de carne

2 colheres de sopa de óleo

Cominho em pó á gosto

Pimenta do Reino à gosto

1 colher de café de Colorau

3 batatas em cubos médios

Salsinha á gosto.


Preparo


- Numa panela de pressão, doure o alho no óleo e acrescente a carne cortada em cubos e o caldo de carne esfarelado.Mexa até que a àgua que a carne soltou, seque até que ela fique bem douradinha.


- Acrescente àgua quente para o cozimento da carne, suficiente para cobrí-la.Leve ao fogo médio por uns 30 minutos , até que a carne esteja macia.


-À parte coloque as 3 batatas descascadas e em cubos para cozinhar até ficar al dente.Reserve.


- Quando a carne estiver macia, abra a panela de pressão acrescente as batatas cozidas e salpique salsinha, deixe apurar mais um pouquinho se necessário sem a pressão para que as batas incorporem o sabor da carne.


* Dica: Se você gosta de uma carne não muito sequinha, não deixe que o caldo da carne seque totalmente na panela.


Comidinha simples, sem muitos segredos mas se feita com gosto, fica muito boa!!!


Má.

25.5.11

Sonho de Consumo: um ralador Microplane!



Resolvi incluir em nosso blog dicas sobre produtos e/ou utensílios relacionados a culinária a título de curiosidade e pra compartilhar com pessoas que gostam como nós dessa arte que é a culinária.


Em outubro de 2010, tive o prazer de fazer um curso com a Simone Izumi (Chocolatria) e lá conheci um maravilhoso ralador da Microplane.
Ao pesquisar na Net sobre o tal utensílio, vi como existem várias pessoas super satisfeitas com o tal ralador.

Mas ele não é um ralador qualquer. Um ralador feito de aço cirúrgico, extremamente resistente que não perde o fio.


E o melhor: os produtos ralados não ficam grudados nos furinhos.Fora a super facilidade pra ralar queijo ou raspas de limão sem ralar os dedos...



Para se ter uma idéia, a empresa Grace Manufacturing Inc. fabrica ferramentas para limar madeira, entre outras coisas. Se lima madeira dura, imagine os alimentos como casca de cítricos, queijo parmesão, chocolate ou gengibre... Rala que é uma beleza!

Existem alguns modelos de ralador:


Zester/Greater Classic Series (indicado para casca de cítricos, chocolate, gengibre, coco, alho, queijos duros).


Existem mais três modelos:


Premium Extra Coarse Greater (para queijos em geral, chocolate, batata, maçã).


Premium Medium Ribbon Grater (para queijos em geral e legumes em geral).


Spice Grater (Para nóz moscada, canela, gengibre e outros temperos).


Esses novos modelos já estão vindo com uma capa plástica que protege a lâmina. Dá para guardar na gaveta junto com os outros utensílios.O cabo é emborrachado e existe a opção de cores.


Agora minha melhor notícia (rs): Foi que em minha última viagem pelas terras do Tio San, comprei não só 1 mas 3 super raladores da Microplane.Também presenteei minha mãe e irmã com esse super utensílio que irá facilitar e muito o dia a dia delas.Fica aí minha dica.


18.4.11

Bacalhau à moda do Porto


Estamos na época em que se usa bastante o bacalhau. Veja que receita fácil e saborosa:


Por Newton Figueiredo, da Cozinha de Autor.

Receita para 4 pessoas


Ingredientes

650 gramas de lombo de bacalhau dessalgado

250 gramas de batatas

1 colher de sopa de manteiga sem sal

2 cebolas roxas médias

50 ml de vinho tinto

100 gramas de azeitonas pretas sem caroço

Pimenta a gosto

Sal para correção


Forma de preparo


Selar o lombo por aproximadamente 1 minuto de cada lado na frigideira bem quente.

Levar o lombo selado para o forno aquecido a 200 C por 12 minutos.

Cozinhar as batatas e batê-las descascadas no liquidificador com a manteiga até formar um creme liso e uniforme.

Tempere com sal.

Cortar as cebolas em rodelas finas, saltear em frigideira quente com azeite até caramelizar e adicione o vinho para deglaçar

Picar as azeitonas pretas em pedaços bem pequenos e agregar azeite


Montagem do Prato


Espalhe o creme no fundo do prato e faça um traço com a cebola deglaceada. Coloque o lombo no centro do prato e espalhe pelas bordas a azeitona com azeite. Tempere com pimenta do reino a gosto. Se preferir regue um pouco de azeite sobre o bacalhau. Sirva imediatamente.


Deglaçar do francês déglacer, que significa dissolver. Refere-se a técnica do desprender do fundo do recipiente com a ajuda de um caldo, vinho ou simplesmente água, as substâncias solidificadas resultantes de assado ou fritura. Releitura da receita tradicional. A batata dourada no forno foi substituída por um creme de batatas.

Fonte: Revista WINE

Ed

31.3.11

Lasanha Light de Proteína de Soja



A proteína texturizada de soja, conhecida popularmente como "carne de soja" é obtida a partir do processo de extração do seu óleo.

É constituída em aproximadamente 52% de proteína de alto valor biológico. Contém vitaminas e minerais como o cálcio e o ferro, e ácidos graxos poliinsaturados, que não elevam o colesterol.


Utilização: em molhos, refogados, almôndegas, hambúrgueres, massas de bolos e pães, como cereal matinal, etc.


Fonte e foto: Site Mãe Terra

Lá vai uma receita da minha sogra: prática, saborosa e super saudável. Fiz lá em casa hoje e foi aprovada!


Ingredientes

2 xícs de chá de proteína de soja texturizada (Usei da marca Mãe Terra)

3-4 berinjelas pequenas em fatias finas no sentido do comprimento

1 caixa de 500 grs de molho de tomate

2 colheres de sopa de azeite

2 dentes de alho

azeitona picadinha à gosto (opcional)

cebolinha e cheiro verde picados à gosto

200grs de mussarela ou queijo branco ou molho branco( ver receita do molho branco da moussaka)

Sal à gosto


Modo de fazer


-Corte as berinjelas em fatias no sentido do comprimento e reserve.Coloque-as num recipiente com àgua para que não escureçam , enquanto prepara o molho da lasanha.

- Pegue um recipiente e coloque as 2 xícs da proteína de soja para hidratar em 3 xícs de àgua morna durante 5 minutos.Passado esse tempo, esprema-a numa peneira apertando com uma colher ou com as mãos para retirar o excesso de àgua.

- Numa panela anti-aderente coloque o azeite, o alho picadinho, uma pitada de sal e refogue a proteína de soja.Acrescente a azeitona picadinha, a cebolinha, o cheiro verde e o molho de tomate.( Se o molho ficar muito grosso, acrescente meia xícara de água ou mais se desejar.

(Note que a berinjela ao cozinhar, soltará um pouquinho de àgua também).

- Escorra a berinjela que estava na àgua para começar a montagem.


DICA: Eu costumo grelhar as fatias de berinjela numa panela teflon,antes de montar a lasanha. E nessa receita ( original), cobre-se a lasanha com mussarela.Eu prefiro ( como na foto do Blog), fazer um molho branco ( ver receita da moussaka) e cobrir com ele.Fica mais gostoso ainda...


Montagem

- Pegue um refratário de vidro retangular ou uma forma de inox e comece a montagem dispondo um pouco do molho no fundo e espalhe bem.

- Coloque fatias de berinjela, cubra com mais molho e coloque um pouco das fatias de mussarela e repita essa sequência mais uma vez. Você pode terminar com uma cobertura de mussarela ou de molho, a seu gosto. Asse em forno médio de 45 minutos à 1 hora, ou até que as berinjelas estejam cozidas e macias.

21.3.11

Alho Negro

O bulbo comum, fermentado e envelhecido, perde o sabor ardido, recebe cor e começa a chegar às mesas de restaurantes brasileiros

Doce, frutado e macio. Quem diria que essas seriam qualidades atribuídas a um alho? Um processo originário do Oriente para fermentação e envelhecimento do bulbo comum (Allium sativum) traz nova cor à mesa. Com casca dourada e dentes escuros, pode levar a pensar que foi queimado ou está apodrecido. Mas, tal como vinho, o alho negro fica ainda melhor com o passar do tempo quando se tomam alguns cuidados. A história faz segredo sobre a procedência da técnica de preparo do alho negro, assim como fazem aqueles que dominam o processo. O que se sabe, no entanto, é que coreanos e japoneses disputam o posto de criadores da iguaria. Na Coreia, foi introduzido como suplemento na dieta por conter alto teor de antioxidantes, substâncias benéficas à saúde. Na internet, há referências sobre um pesquisador japonês que teria “inventado” o tal alho em 2005. E foi justamente no Japão que o famoso chef espanhol Ferran Adrià o teria provado pela primeira vez, em 2007. De concreto mesmo, somente há a certeza de que o ingrediente é novo tanto para os orientais quanto para os ocidentais e que só agora, atraindo os olhares do mundo, escreve seu primeiro capítulo.


No Brasil, uma única produtora domina a técnica que transforma o alho comum em alho negro. Marisa Ono, cozinheira de mão cheia, vive em um sítio em Ibiúna, SP, e compartilha suas experiências culinárias no site Delícia. Uma conversa numa comunidade na internet, dois anos atrás, teria despertado o apetite da produtora por informações sobre a novidade. No fórum online, ela soube da existência da guloseima por meio do chef de cozinha Carlos Bertolazzi, do paulistano Zena Caffè. No ano anterior, ele havia estagiado no restaurante de Ferran Adrià, na Espanha, onde foi apresentado a caixas e mais caixas do produto, grafadas com letras japonesas. Não compreendia o que estava escrito, mas o sabor e o aroma despertaram sua atenção. “Fiquei maravilhado, e, de volta ao Brasil, perguntei à Marisa se ela sabia do que se tratava”, diz.

Processo de produção

Marisa, mais familiarizada com os ideogramas, iniciou sem alarde suas pesquisas. Grande parte da bibliografia para entender o processo de produção do alho negro encontra-se em japonês. “No final de 2008, chegou um Sedex para mim, com uma carta escrita a mão. Eram alhos negros obtidos por Marisa, e eu fiquei surpreso, porque mesmo sem conhecê-lo antes, sem saber a textura e o sabor, ela tinha chegado a 99% das características do produto. Ela fez o primeiro alho negro sem nunca ter visto um”, conta Bertolazzi. Segundo ele, para fabricar um alho negro é necessário selecionar as melhores cabeças do alho comum – geralmente as com dentes maiores –, além de ter conhecimento sobre processos de fermentação. Escolhidas as cabeças, elas são mantidas numa estufa por entre três semanas e um mês. Nesse período, são controladas a temperatura e a umidade para que possibilitem atingir a coloração e o ponto ideal de maturação. “Não se aplica nada: é alho puro”, explica o chef. Depois de pronto, se bem conservado em embalagem fechada na geladeira, o alho negro tem validade de três meses.

Uma das qualidades do alho negro é sua versatilidade na culinária, indo bem até em sobremesas. O chef do Zena Caffè diz que já viu chocolate e sorvete com alho negro. “Ele lembra vinagre balsâmico, tamarindo e melaço, combina bastante com massas, frutos do mar e defumados. Quem não gosta do alho cru, quando experimenta o negro, vê que é uma coisa completamente diferente”. O alho negro é pouco conhecido no país, mas aos poucos vem sendo introduzido na gastronomia brasileira. O consumo ainda é restrito a restaurantes e aos poucos entusiastas que procuram por novidades. Em São Paulo, a iguaria pode ser encontrada também em pasta, em empórios no bairro do Bom Retiro. Mas, in natura, só mesmo com Marisa, que comercializa o quilo a R$ 100 e envia por correspondência, adicionando os custos de frete.

Enquanto aguarda a encomenda, aproveite para aprender uma receita simples e saborosa com alho negro, criada pelo chef Carlos Bertolazzi.

Spaghetti al Triplo Aglio

(4 porções)

Ingredientes


- 320 gramas de espaguete
- 4 dentes de alho comum
- 2 cabeças de alho negro
- 1 talo de alho-poró
- Salsinha picada a gosto
- Sal e pimenta-do-reino moída a gosto
- Azeite a gosto


Modo de preparo: Em uma frigideira, refogue com um pouco de azeite o alho-poró cortado em tirinhas bem finas e reserve. Aqueça mais azeite e doure o alho comum cortado em fatias finas até ficarem crocantes. Retire do fogo e adicione os dentes de alho negro e o alho-poró. Cozinhe a massa em bastante água salgada, até ficar al dente. Escorra o espaguete e misture aos alhos, adicionando um pouco da salsinha picada e ajustando o sal e a pimenta. Finalize com o alho frito e sirva imediatamente.


Fonte: Revista Globo Rural/ Fotos: Roberto Seba

20.3.11

Brasil a Gosto - Super dica!


Hoje tive um dia bem gostoso e diferente: passeio com a sogra e nossa querida amiga Marta.Fui convidada a conhecer um Restaurante chamado Brasil a Gosto da simpática e competente chef Ana Luiza Trajano.
Ao chegarmos ao Restaurante que fica localizado no Jardim Paulistano, já tive uma ótima impressão: lugar escondidinho, num lugar calmo e com ótima recepção.
Fomos muito bem orientadas ao folhearmos um lindo cardápio que continha todo um fundo cultural e registro das receitas vivenciadas pela chef em suas viagens gastronômicas regionais.Ambiente aconchegante, petiscos deliciosos e bebidas no ponto.


Curiosidades do lugar: Durante a semana os pratos são divididos em " bóias quentes" inspirados acho eu nos bóias frias do nosso país.

Hoje o tema servido na "bóia" foi uma moqueca capixaba, pedido pela Silvia, porção muito bem servida, que veio numa simpática marmitinha de cerâmica com tampa envolta num paninho colorido.Que capricho!

Optei por uma fraldinha com baião-de-dois (foto) e a Marta optou por uma carne de porco ao molho de jabuticaba com purê de inhame e banana-da-terra grelhada.Tudo muito bem apresentado e com muito sabor.E as sobremesas também não ficam de fora pois estavam deliciosas e com apresentação impecável.

Fica a minha dica de um restaurante autêntico e tradicionalmente brasileiro.Uma verdadeira viagem pelos sabores do nosso Brasil.



Frango com Shimeji e Nirá


Ultimamente estou obcecada pelo shimeji.Quando vou ao mercado não resisto e sempre compro uma bandejinha do tal cogumelo.

Semana passada fiz um prato ultra rápido: cubinhos de peito de frango Korin (orgânico) refogado com shimeji e Nirá, que é um tipo de cebolinha japonesa.Ficou uma delícia! A receita não tem muito segredo:


Ingredientes


500grs de peito de frango Korin em cubinhos
1/2 cebola picadinha
1/2 maço de Nirá picado ( comprei no bairro da Liberdade0
5 colheres de sopa de molho de soja ( shoyu) ou se preferir à gosto
1 bandeja de shimeji claro ou escuro
2 colheres de sopa de manteiga

Preparo


Refogue a cebola na manteiga até amolecer, junte o frango em cubinhos e deixe dourar um pouco.Acrescente 5 colheres do molho de soja (shoyu) e mexa bem.Acrescente o shimeji mexa mais um pouco até que ele fique macio.No final acrescente o Nirá.

E é só servir quentinho acompanhado de uma arroz branco e uma saladinha.Fácil não?

2.3.11

Bifum com carne e shimeji


Sempre tenho pressa na cozinha (e quem não tem?), por pura falta de tempo, então gosto destes tipos de pratos que além de super saudáveis não tomam tanto tempo no preparo.
Hoje acordei bem cedo do que de costume por conta de alguns compromissos e já no embalo, corri ao supermercado e comprei algumas verduras e legumes frescos para preparar este prato.

Tinha em casa um macarrãozinho fininho de arroz chamado Bifum que comprei há um tempinho lá na Liberdade.Em 30 minutos tava tudo prontinho e muito gostoso.Espero que gostem da receita.

Ingredientes
- 1/2 pacote de macarrão de arroz tipo Bifum (ele rende muito)
- 3 -4 bifes de coxão mole (ou outra carne de sua preferência) cortados em tirinhas
- 1/2 cebola
- 3 colheres de sopa de óleo de canol, milho ou o que vc gostar
- 1/2 pacote de shimeji claro
- 1 maço de couve chinesa (da próxima vou experimentar com acelga, achei que este tipo de couve tem um leve sabor amargo, eu gosto, mas se você não é fã deste tipo de sabor, use a acelga (1/2 maço em tirinhas);
-1 cenoura média ralada ou cortada em tirinhas bem finas
- 1 punhado de broto de feijão (moyashi)
- Shoyu à gosto
- Sal (se achar necessário) à gosto)
Preparo
- Numa panela tipo Wok refogue a cebola picada com o óleo.
- Acrescente as carnes em tirinhas, regue com um pouco de shoyu de deixe refogar por uns 10 minutos.
- Acrescente o shimeji, a cenoura ralada e a couve chinesa (ou acelga) e refogue mais um pouco até as folhas murcharem e tudo ficar bem encorpado.
- Numa panela à parte coloque àgua para ferver e prepare o Bifum conforme instruções da embalagem (é super fácil, não tem segredos!)
- Agregue o bifum ao refogado, mexa bem , se necessário acrescente mais shoyu e sal se quiser.
- Salpique gergelim e sirva quentinho.

8.2.11

Bolo de Mandioca


Receita de mãe é pra anotar e guardar em nosso caderninho depois que casamos.

E esse delicioso Bolo de Mandioca foi uma das receitas que eu não poderia deixar de ter.
É bem fácil e muito saboroso.

Nele pude estrear meu super ralador ganhado da minha sogra da marca Microplane.


Ingredientes

Numa tigela:

- 3 xícs de mandioca ralada crua ( fininha, tipo côco ralado)
- 1 xíc de côco ralado .Reserve.

No liquidificador:

- 2 xícs de açucar
- 1 xíc de queijo parmesão ralado
- 1 xíc de farinha de trigo
- 1 colher (sopa) de manteiga sem sal
- 1 colher (sopa) de fermento
- 3 ovos inteiros
- 1 copo (tipo requeijão) de leite

Preparo

- Junte a mistura que você bateu no liquidificador aos ingredientes da tigela.Misture bem com uma espátula.
-Unte uma fôrma tipo pudim ou uma fôrma retangular média e leve para assar por uns 40 minutos ou até dourar.Espete um palito de dente , se sair seco está no ponto.


18.1.11

Música influencia o ritmo dos exercícios

Dica para os atletas de plantão

Ouvir música durante a atividade física motiva e pode fazer você ir mais longe

A batida da canção pode acelerar ou diminuir o rendimento. Maratonas nos EUA consideram tocadores de música "dopping"

Músicas podem dar mais ânimo na hora dos exercícios, principalmente porque mexem com emoções. Como não se motivar ao som de Eye of the Tiger, tema do filme Rocky, o Lutador, lembrando da cena do ator Sylvester Stallone correndo pelas ruas da Filadélfia. Ou ainda como não se animar com a batida do hit Telephone, de Lady Gaga?

“Ao realizar exercícios ouvindo música sofremos alguns processos psicofisiológicos. Essas alterações são perceptíveis na frequência cardíaca, na motivação e no rendimento”, diz o professor de educação física Erivaldo Hildefonso Moreira, diretor técnico da Run For Win Assessoria Esportiva, de São Paulo.

Não é difícil perceber o quanto a música está associada à atividade física. Ao entrar em uma academia, clube ou outro espaço em que as pessoas estejam se exercitando nota-se a utilização dos aparelhos sonoros para estabelecer o ritmo do movimento, como entretenimento ou motivação.

O problema é que na sala de musculação de algumas academias compartilha-se a música em volume alto e nem todos apreciam o mesmo estilo. “Neste caso, o som pode se tornar desagradável, atrapalhando o desempenho da pessoa”, diz Erivaldo.

“Tanto na corrida de rua, quanto na academia, me animo e acelero os movimentos com uma música mais alegre”, afirma a estatística Jackeline Gense, de São Paulo. Quando está correndo e alguma música lenta "surge" em seu MP3, Jackeline não hesita em trocar a faixa. E quando precisa largar com motivação total, tem sua preferida: “É Dancing With Myself, do Billy Idol. Saio correndo forte e ‘troco’ o ‘dancing’ (dançar em inglês) por ‘running’ (correr em inglês)”, brinca.

Para os exercícios localizados, Jackeline também conta com o apoio sonoro. “Se não tiver música, a atividade torna-se muito monótona e não passo dos cinco minutos”.

Concentração

Em esportes coletivos — como basquete, vôlei ou futebol — os movimentos e gestos técnicos não acontecem de maneira repetitiva e são realizados de acordo com alterações no ambiente. Nesses casos, a música não favorece o desempenho. Mas as canções podem ajudar na motivação quando ouvidas antes.

Já em atividades como corrida, caminhada, musculação e ginástica localizada, que possuem a repetição mecânica como elemento principal, o som pode ser uma grande companhia. Uma das vantagens é que a atenção do individuo está focada em suas próprias sensações, driblando o cansaço e a dor. A técnica é conhecida pelos psicólogos como dissociação. “A música entra como um elemento capaz de direcionar a atenção a algo mais prazeroso”, argumenta o professor da Run For Win.

Apaixonado por ultramaratonas, o médico Gentil Jorge Alves Junior, de Ribeirão Preto, faz treinos de quatro a oito horas de duração e provas que podem chegar a dois dias.

“As músicas se transformam em aliadas para combater o tédio e aliviar o foco das dores em alguns momentos. As canções que têm maior apelo emocional funcionam como um catalisador das reservas de energia e me ajudam a melhorar a concentração e o desempenho”, diz. Ele conta que tem como estilo preferido o rock/pop, mas já correu ouvindo até sertanejo.

Certa vez, em uma maratona de 100 quilômetros, Gentil sentiu as energias se esgotarem no quilômetro 80. “Meu iPod havia deixado de funcionar. Por sorte, bem ali, voltou a pegar, tocando Wildest Dreams, da banda finlandesa Brother Firetribe, que eu gosto muito. Foi como uma descarga elétrica”, lembra. O contrário também já ocorreu. “Estava em uma prova de 10 quilômetros, mantendo ritmo abaixo de quatro minutos por quilômetro, ouvindo musica eletrônica. De repente tocou Marisa Monte. Foi como se tivessem puxado meu freio de mão. A performance caiu na hora”.

Aumente o som

Um estudo publicado no periódico Journal of Sport & Exercise Psycology, em 2009, demonstrou que a música certa pode fazer você correr mais e melhor. “O tempo passa mais rápido, você ganha ritmo, diminui sua percepção de cansaço e melhora o humor”, descreveu o pesquisador Costas Karageorghis. O desempenho dos indivíduos que foram avaliados na pesquisa aumentava quando o som obedecia a certas características, como batidas mais intensas e cadenciadas.

O ultramaratonista Jorge Cerqueira, militar da Força Aérea do Rio de Janeiro, tem mais 100 canções nos estilos dance, psy e trance em seu mp4.

“Arrumo as músicas na sequência em que quero que toquem, para não atrapalhar os treinos, que são longos e em ritmo forte”, diz. Ele conta que certa vez, quando estava quase desanimando em um treino, a salvação veio na batida de Darude, do Sandstorm.

A música é tão poderosa que alguns organizadores de provas a consideram uma espécie de “dopping”. A USA Track & Field, federação de atletismo americana, por exemplo, proíbe o uso de tocadores de música portáteis em suas corridas oficiais. A regra foi criada com o objetivo de garantir a segurança do evento e evitar que os corredores ganhem vantagem competitiva.

Para melhor ou pior

O auxiliar de dentista Majo Yslei Souza, de São Paulo, encontrou motivação e desânimo em uma mesma sessão de corrida com música. “Estava há sete quilômetros da minha casa e um pouco desanimado. Fui mudando as músicas no mp3 até que chegou Elevation, do U2. Naquele momento me empolguei e pensei até em aumentar o percurso. O problema foi que, antes mesmo de terminar a canção, acabou a bateria do aparelho. Desanimei totalmente e peguei um ônibus de volta para casa”, conta.

Quando você conhece bem seu corpo e sabe dosar a intensidade de exercícios, programar uma playlist com músicas energéticas pode ser bastante benéfico para dar um impulso no treino, sem o risco de se machucar. “Já iniciantes devem ter cuidado. Se por um lado as canções são motivantes, por outro existe o perigo de se entusiasmar demais e passar dos limites”, alerta o professor Erivaldo.

Como as músicas também levam a diferentes estados afetivos, as mais lentas podem provocar rendimento negativo. Foi o que aconteceu com o projetista de instalações elétricas André Luiz Panetto, de São Paulo.

“Não consegui montar a tempo uma playlist para uma prova de 10 quilômetros e corri ouvindo todas as músicas que estavam no meu celular, em modo aleatório. Em determinado momento tocou Easy, do Faith no More. Adoro a música, mas ao ouvi-la naquela hora meu ritmo caiu bastante. Sem perceber estava quase andando”.


Fonte: iG Saúde